Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

24
Dez18

Save LGBT youth!


Hikarry

Como parte da comunidade LGBT já vi e ouvi muitas coisas.

Tenho amigos de quase todas as sexualidade e vários géneros: Heteros, gays, bissexuais, lésbicas, indecisos, pansexuais, non-binary e é espantoso o quanto todos nós nos apoiamos uns aos outros.

Quando eu "sai do armário" em janeiro de 2016, tive a sorte de ter os melhores amigos que eu poderia pedir. Pessoas que sempre me suportaram e sempre estiveram lá por mim. Desde que me assumi perante os meus amigos mais próximos, sempre quis assumir-me para a minha família, mas havia aquele medo; aquele medo de ser rejeitada, de perder a ligação forte que tinha com o meu pai. Muitos diziam para eu não me preocupar, que se algo acontecesse eles estariam lá para mim e que se fosse necessário eles até me dariam um sitio para dormir e roupa lavada. 

O fatídico dia de 13 de Janeiro de 2017 chegou. A minha relação que já tinha acabado no dia 25 do mês passado, acabou de vez e, num misto de coragem e dor, eu contei aos meus pais. O meu pai não ficou feliz, a minha mãe não ligou e, já no final de 2018, o meu pai ainda faz cara feia quando falo nisso, mas eles nunca me rejeitaram. Também tive a sorte de ter avós que, embora extremamente religiosos, nunca me soltaram e fizeram de tudo que podiam para me apoiar, nunca tentando mudar quem eu sou.

Infelizmente, muito não têm a minha sorte. São oprimidos, tanto em casa como na escola ou até mesmo na rua. Em todo o mundo a taxa de suicídio entre pessoas da comunidade LGBT é oito vezes maior a pessoas "normais".

Ainda não tenho o poder para isso, mas, no futuro, pretendo ser uma ativista por tudo aquilo em que acredito: Direitos LGBT, direitos das mulheres, das crianças. Há tanta gente que precisa ser amparada e muitas vezes basta que alguém lhe estique a mão; falo por experiência própria.

À uns dias atrás, os Try Guys publicaram um vídeo em que o Eugene se voluntariava num call center que se destina, nos Estados Unidos, em ouvir e ajudar pessoas que estejas a passar por fases difíceis, principalmente jovens LGBTs.

Portugal e alguns países de língua portuguesa têm a sua própria versão disso: O projeto It Gets Better.

Nesse projeto encontramos varias associações que se destinam a ajudar jovens LGBT e se disponibilizam a ajuda-los e a protege-los:

  • REDE EX AEQUO - ASSOCIAÇÃO DE JOVENS LÉSBICAS, GAYS, BISSEXUAIS, TRANSGÉNERO E SIMPATIZANTES

TELEFONE: (+351) 968 781 841
E-MAIL: geral@rea.pt
WEB SITE: www.rea.pt

  • AMPLOS – ASSOCIAÇÃO DE MÃES E PAIS PELA LIBERDADE DE ORIENTAÇÃO SEXUAL

TELEFONE: (+351) 918 820 063
E-MAIL: amplos.bo@gmail.com 
WEB SITE: www.amplos.pt

  • ASSOCIAÇÃO OPUS GAY

TELEFONE: (+351) 918 052 088
E-MAIL: geral@opusgay.org
WEB SITE: www.opusgay.org

 

Isto são apenas uns exemplo, se quiserem encontrar mais entrem aqui.

Pouco a pouco vamos conseguir salvar esta pequena parte do mundo e abrir a mente da sociedade, começando pela portuguesa e, com sorte, espalhando isso pelo resto do mundo, criando um lugar seguro onde casais LGBT não precisam de se esconder e onde crianças e adolescentes não são descriminados pela sua orientação sexual.

Eu estou a tentar fazer algo e tu?

Let's save LGBT youth!

Nesta véspera de natal esta é a mensagem de amor e esperança que quero passar para todos vocês.

Feliz Natal.

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D