Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

26
Fev19

A bebé lá de casa


Hikarry

Já temos a Alex à, basicamente, 5 meses e, o que antes era um ser não apreciado, é agora a mascote da casa.

Tem caminha para ela junto à lareira; a minha mãe fala com ela como se estivesse a falar com gente e o meu pai, que nunca quis animais dentro de casa para além do seu Óscar (outro gato) agora mima a minha Alex como se fosse dele. Aquilo é um amor que só visto.

Só de pensar que no inicio ele quase que me matou por ter levado a gata lá para casa e agora não a largar por nada...

25
Fev19

O que fazer quando estamos sozinhos em casa


Hikarry

Então, estou desaparecida em combate à uns dias por vários motivos mas, principalmente, porque gosto muito de mim e da minha saúde mental. 

O que interessa é que estou de volta e antes de começar o post de hoje quero enfiar-vos pelos olhos adentro o blog da minha amiga Mia que demorou muito tempo a ser convencida a migrar para estas bandas. Na altura que estou a escrever isto ainda só tem um post, mas não se vão arrepender, eu juro!

Voltando ao tópico!

Agora que estou quase sempre a trabalhar e quase nunca em casa, acho difícil estar parada e super aborrecido; quando estou em casa faço uma de três coisas: durmo, vejo series ou leio...é isso. Embora goste de todas essas atividades, não posso deixar de referir que a rotina me aborrece então lá vão as minhas tips para um dia em casa menos aborrecido.

 

1. Ver porno

Já todos o fizemos; é saudável, é recomendável e é melhor fazer quando estamos sozinhos então...why not?

Hã? Claro que eu estava a falar de food porn! Que tipo de pessoa é que pensam que eu sou?!

 

2. Não fazer nada 

Eu fico de pé de 4 a 5 horas sem poder sentar-me todos os dias então, nas folgas ou quando chego a casa, tudo o que quero é deitar-me e ficar a vegetar com a Alex em cima de mim durante tempo equivalente ou superior até voltar a sentir as pernas.

3. Escrever

Não sei se já falei aqui ou não, mas estou a trabalhar num livro à anos, mas esses dias são ótimos para me sentar e escrever. O engraçado é que a vida é irónica ao ponto desses dias serem os dias em que eu tenho bloqueio criativo.

4. Tentar não beber cappuccino

Eu sei que já bebi dois hoje, mas...

5. Ver memes

Memes são memes. Podemos começar a ver memes às 9 da manhã e quando damos por nós é dia 27 de maio de 2035 e, infelizmente, não estou a exagerar. É a melhor maneira de passar o tempo...a seguir a food porn.

6. Fazer listas 

Antes eu fazia listas de coisas que queria comprar, experimentar ou fazer; hoje faço listas de pessoas que gostaria de matar mentalmente. 

Arya Stark approves.

Para isto não começar a ir colina a baixo e vocês descobrirem que eu sou algum tipo de psicopata, hoje ficamos por aqui.

19
Fev19

Noticias


Hikarry

Já à uns dias que ando a sentir isto: sempre que entro no trabalho, a minha cabeça fica muito leve, como se eu estivesse dopada ou confusa, começo a tremer, a gaguejar e a ficar tonta.

Quando saiu do trabalho, fico com uma dor de cabeça tão grande que não consigo ouvir os meus próprios pensamentos, é como se tivesse um apito a apitar-me aos ouvidos.

O meu pai pensa que é ansiedade.

Tenho tomado os comprimidos de novo desde o incidente com o tipo pervertido, mas não está a mudar nada.

 

18
Fev19

Espécies no supermercado


Hikarry

Estou a trabalhar num supermercado à 2 semanas e, senhores, acho que aquele é o sitio perfeito para se perceber o âmago de uma pessoa:

Muitas vezes, quando os trocos estão a faltar na caixa, eu peço sempre às pessoas (se não estiver muita gente na fila) se os têm, mas há aquelas pessoas que se oferecem para mos dar e, ironicamente, isso acontece sempre quando a fila está até ao final do corredor.

Amores, eu agradeço, mas não gosto muito daquele olhar que aquela mulher de nariz empinado me está a enviar desde o final da fila.

Também já apanhei um típico pervertido.

Meteu conversa comigo, convidando-me para sair com ele e a pedir-me o meu numero e eu declinava sempre, até lhe disse que preferia ficar em casa com a minha mulher (é de notar que, sim, sou lésbica, mas não casada. Tempos desesperados pedem medidas desesperadas) do que sair, mas ele continuou a insistir, ao ponto de tentar agarrar o meu braço quando lhe dei o troco. No dia seguinte, o possível pai desse meliante foi fazer-me uma visita, porque um senhor já com idade para ser meu avô, começou a dizer as mesmas coisas e tentou, também, agarrar-me o braço e pedir-me que lhe desse um beijo. O pior é: não posso fazer queixa.

Mas se há uma coisa que me derrete sempre são casais com crianças ou casais já idosos. Adoro ver os garotos a interagir comigo e a ajudar os pais a por as coisas no tapete. Embora não queira tê-los, adoro crianças e isso enche o meu dia.

Já no tópico dos idosos, no outro dia eu perguntei a um senhor (com uns 70-80 anos) pelo cartão da loja e ele respondeu:

A minha princesa é que o tem.

Referindo-se à mulher.

Também já me apareceu muito estrangeiro pela frente, principalmente ingleses e franceses, que ficam muito impressionados comigo quando ouvem o meu inglês ou as minhas calinadas em francês

Também adoro aquelas pessoas que quase que entram para dentro da maquina de pagamento só para verem o que está lá escrito; está certo que eu tenho luzes mesmo por cima da minha caixa e aquilo faz reflexo, mas, pessoas, coloquem a mãozinha a tapar a luz do visor.

Lembram-se do pervertido? Para além de ter começado a tomar os meus comprimidos para a ansiedade de novo por causa desse episódio; no dia, eu disse à minha colega da frente que ia à casa de banho (embora o meu objetivo fosse espairecer e...ligar a uma pessoa), mas, quando lá cheguei, a minha amiga mais próxima do trabalho estava a chorar na casa de banho, porquê? Uma senhora aleatória começou a chama-la incompetente porque ela pensava que a minha colega não lhe tinha dado nota x quando, a idiota, tinha a nota na mão. Começou aos berros e levantou a mão para lhe bater. Este é o tipo de pessoa que eu mato mentalmente todos os dias antes de dormir.

Também há pessoas muito simpáticas e compreensivas; adoram fazer piadas e tentam meter conversa sobre coisas triviais: adoro!

Para além de estar na caixa, também estou na reposição e não conseguem imaginar a quantidade de sacos de gomas (sem uma única goma) que já vi abertos por ai ou mesmo chocolates; as pessoas não tê vergonha nenhuma.

De vez em quando, lá aparecem os conhecidos e lá tenho eu que responder às mesmas perguntas:

- Então? Estás aqui? (Sim, como pode ver com a sua visão, estou na sua frente).

- Abandonas-te os estudos? (Não, estou a tirar um curso à noite e, sim, quero ir para a universidade).

Passado o choque da primeira vez, sempre que me vêm, veem à minha caixa para por conversa em dia e é o único momento do meu turno em que posso parar de tratar alguém por você.

E cá continuou eu, atrás de uma caixa, a registar isto tudo na minha cabeça para rir ou chorar mais tarde...e para vos contar depois.

Pág. 1/4

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D