Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

02
Fev20

Leitura desenfreada


Hikarry

Esta foi a ultima obra que li durante a semana passada e tenho a dizer que me deixou colada às paginas mais ou menos até 3 capítulos antes do final.

É o quinto livro da serie do Tomás Noronha do José Rodrigues dos Santos, na qual eu tinha dado uma pausa, mas voltei. Não vou ler o sexto já de seguida, mas não vou demorar tanto até pegar num livro dele novamente.

É um livro com um pesado tema teológico que roda em volta dos erros e falsificações do Novo Testamento misturado com certa fantasia do autor. Para quem não se importa com coisas ligadas à religião ou gosta, mas só de leve, este livro não é para essas pessoas. Tenho que confessar que perto de 40% do livro é única e exclusivamente o Tomás e expor os tais erros e fraudes e, embora isso me interesse bastante e tenha sido a minha parte favorita do livro, pode não agradar a todos.

Uma coisa que me irritava nos livros anteriores era o Tomás se atirar a todo e qualquer rabo de saias e as mulheres se deixarem cair todas por ele até ao final e o livro acabar com eles juntos...sendo que no livro seguinte ele já estava disponível e a lançar o seu "charme lusitano" por qualquer rua de qualquer país. A sidekick dele neste livro é Valentina, uma bela mulher, chefe da policia judiciaria Italiana e confesso que fiquei surpreendida por, em todo o livro, ela lhe resistir fortemente.

É um típico livro do José Rodrigues dos Santos: nem mais , nem menos; se bem que o final foi um enorme plot twist, que, na minha opinião não é daqueles plot twists de abrir a boca, mas sim da necessidade de ser diferente e apanhar o leitor desprevenido só porque sim. Comecei a perder a vontade de ler no capitulo 75 depois dos "segredos" serem descobertos, mas como apenas faltavam 3 capítulos, deixei-me estar.

É interessante ver o contraste entre católica extremamente devota, judeu e ciência que atravessa o livro e foi um dos pontos altos do dito cujo, pois, embora pareça ridículo algumas atitudes e respostas que a Valentina dá a Tomás quando ele lhe está a explicar todos os erros, são completamente verídicas e prováveis de acontecer, ou não fosse eu ateia no seio de uma família extremamente religiosa e ouvir esse tipo de coisas sempre que eu digo que não acredito e apresento provas para tal.

Faz-nos pensar bastante. Dei-me ao trabalho de estar a ler isto com a minha bíblia antiga ao lado, lendo os mesmos versículos que Tomás lia no livro e eu tive com cada cerebral orgasm (novo termo criado por moi, podem usar a gosto) de tantas ideias e teorias que criei à volta de tudo isto que ia descobrindo em conjunto com o Professor de Historia da Universidade de Lisboa.

Em suma, é mais um livro de muitos deste autor. Há muitos que gostas - como é o meu caso -, mas também há muito que desprezam e não acham piada e dá para entender perfeitamente o porque. O Zé - somos miguitos a este ponto de tanto dinheiro que já lhe dei a comprar o raio da coleção toda - tem o seu próprio publico para o qual ele escreve e faz isso com certa maestria.

Pág. 2/2

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Nuno

    Pois era! :)

  • Hikarry

    Uma boa comédia diária

  • Hikarry

    Ahah é espantoso o que se encontra por ai!Obrigada...

  • Hikarry

    Rir? Certamente. Também acho que é para isso que s...

  • Hikarry

    Olha que isso é que era uma ideia de valor!

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D