Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Algumas actualizações

Depois de uma breve pausa, estou de volta!

Precisava de um tempo para pensar e por a mente em ordem e acabei por não fazer nenhuma dessas coisas! Eu bem tentei e meio que cheguei a algumas respostas, depois de alguns desapontamentos e muitas tardes de barriga para cima a pensar no que irei fazer da minha vida.

Ando a pensar que enfermagem já não é bem aquilo que quero e muito menos educação básica, mas não estou completamente descontente com a ideia de vir a seguir o ramo da enfermagem.

A minha gata faleceu e deixou todos os seus filhotes recém nascidos para trás. Todos foram dados pelos meus avós menos uma, que se escondeu e foi encontrada pelo meu avô e quase dada também a uma pessoa que possivelmente a teria matado. Agora sou eu que cuido dela. Quando chegou aos meus braços tremia por tudo quanto era lado e mal comia, agora farta-se de comer, nunca está quieta na cama dela, anda atrás de mim para todo o lado e quando eu estou parada sobe-me pelas pernas a cima para vir para o meu ombro. Ela tem apenas algumas semanas e já tem toda aquela força. Ah, claro, e não me deixa ir à casa de banho sem ela estar presente, insiste em que eu lhe abra a porta para ela ficar a observar-me e a única maneira de ela adormecer é se eu a meter dentro da minha camisola ou me deitar e me enroscar com ela numa manta.

Eu sempre tive muitos animais, mas nunca tive nenhum que fosse mesmo meu. O Killian é mais tratado pela minha mãe, a Mary era mais tratada pela minha avó e o Bobby é mais tratado pelo meu pai, mas ninguém queria a Alex, então eu assumi o papel de mãe e agora mal consigo contar os segundos para vir para casa e cuidar dela. 

É uma enorme responsabilidade, mas eu nunca me senti tão bem e feliz ultimamente. Tenho um pequeno ser indefeso que não tem ninguém e que precisa de mim. E eu não me canso de estar lá.

Se bem que estive ausente durante este fim de semana prolongado, então o meu irmão e a minha avó fizeram-me o favor de lhe deitarem o olho por mim.

Sim, minha gente, fui à Latada de Coimbra e ela derrotou-me! Desde ontem que estou com uma terrível constipação, mas não me arrependo minimamente.

Passei 3 dias em casa da minha melhor amiga, a correr para apanhar os autocarros a tempo e a dormir às 6 da manhã. Percorri a baixa e a alta de Coimbra umas 3 vezes à procura da casa do meu melhor amigo - jornada a que chamei "em busca do pokegay" - e não me lembro da ultima vez que tivesse andando tanto na minha vida inteira.

Estou morta, mas feliz. Desiludida com algumas coisa, mas feliz. 

6 comentários

Comentar post