Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

05
Fev17

Onde está o universo?


Hikarry

Dentro da mala das mulheres! Eu sei disso!

Quando chegamos a casa, depois de sair-mos, sou sempre eu que abro a porta de casa - enquanto os outros vão buscar as coisas que comprámos - mas, ironicamente, a minha mãe é que tem a chave de casa e não eu.

A minha mãe, como típica mulher que é, tem uma daquelas malas gigantes onde se perde um anão se o meter-mos lá para dentro, e com as chaves não é diferente.

 

Eu e ela saímos do carro ao mesmo tempo, ela dá-me a mala, eu passo a estrada a correr - depois de olhar para os dois lados, claro - enquanto ponho a mão dentro da mala à procura das chaves e a minha mão vai parar a outro universo.

Abro o portão que está sempre encostado, subo as escadas a correr, ainda à procura das chaves - neste meio tempo já encontrei pacotes de açúcar, uma carteira e um porta moedas, uns óculos de sol - e estamos no meio de Janeiro - três batotas de cores diferentes, um guarda-chuva, mas nada das chaves.

Apoio a mala em cima do meu joelho para, talvez, me ajudar a procurar melhor, e nada. Ouço o meu pai a subir as escadas, carregado com dois daqueles sacos de papel ou coisa assim, que toda a gente tem, em cada uma das mãos e começo a ficar nervosa, porque: nada das chaves!

Até que, quando só falta um degrau para ele chegar onde estou, finalmente encontro as chaves! Mas, quem disse que acaba ali as dificuldades para abrir uma porta?

Naquele molho de chaves - que se mal me engano são 7, excluindo o porta-chaves em forma de coração e outro em forma de árvore de natal - há duas chaves iguais, e uma delas é a chave de casa.

Lá tenho eu que ir procurar a chave que tem a pinta de verniz azul e, quando a encontro, é mais um ano para abrir a porta, porque estou a segurar a mala com a mão direita e a abrir a porta com a mão esquerda - mão com a qual não sei fazer nada a não ser segurar na faca.

Na minha cabeça, este ritual que acontece quase todos os dias parece demorar anos, mas para as pessoas fora da minha cabeça, demora uns 3 minutos, tanto que nunca ninguém fica nervoso pela minha "demora" a abrir a porta.

 

Mas, é um facto, quando se mete a mão dentro da mala de uma mulher, vamos parar a um universo completamente diferente de onde, se tiver-mos paciência, talvez consigamos tirar até um dinossauro.

 

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Nuno

    Pois era! :)

  • Hikarry

    Uma boa comédia diária

  • Hikarry

    Ahah é espantoso o que se encontra por ai!Obrigada...

  • Hikarry

    Rir? Certamente. Também acho que é para isso que s...

  • Hikarry

    Olha que isso é que era uma ideia de valor!

Arquivo

    1. 2020
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D