Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Parede Metafórica

Às vezes adoraria que houvesse uma muralha à minha volta que não deixa-se ninguém se aproximar demasiado.

Ok, o portão podia abrir para família e amigos, mas só isso.

 

Eu não suporto que pessoas que não me conhecem de lado nenhum pensem que têm alguma intimidade comigo e me toquem, me tratem da maneira que lhes apetecer, se metam comigo, comecem logo a julgar. Detesto e irrita-me. E depois de serem avisadas, queixam-se que eu sou má ou muito fechada. Talvez eu seja, mas isso não é desculpa para passarem o meu risco metafórico.

Ainda hoje, um rapaz da minha turma com quem eu não tenho confiança, só falei com ele uma vez ou outra, passou-me a mão na cara super meigo e foi estranho. Eu senti que aquilo foi estranho. Não gosto de proximidade.

Preciso de uma parede. Ou pelo menos de um sinal "Não toques que ela é esquisita" na testa.

 

 

3 comentários

Comentar post