Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Próxima fronteira: Prancha

Não, não estou a falar da prancha de surf - se bem que tenho alguns planos para ela no futuro, quem sabe - nem na prancha de passar ferro, mas nesta prancha:

Há um tempo tinha me desleixado e deixado de fazer qualquer exercício. Deixei de ir ao ginásio, deixei de correr diariamente e, depois do que me aconteceu (que eu relatei aqui), deixei de fazer caminhadas. 

Desde o inicio de Outubro que voltei ao ativo.

Não voltei ao ginásio e não pretendo voltar tão cedo porque, sinceramente, para mim, é uma perda de dinheiro e tempo. Eu desmotivo imenso lá. Sinto-me sozinha, tenho a mania que toda a gente está a olhar para mim, por mais que não estejam, e aborreço-me facilmente de fazer sempre os mesmos exercícios.

Também como falei no post que referenciei em cima, não tenho feito quase aulas de educação física nenhumas, porque quase que morro, mas tenho feito exercícios mais leves e que não puxam tanto pela parte cardíaca, mas sim pela parte muscular.

Já que fico todas as tardes livres sozinhas em casa com a Alex, visto o pijama e ponho-me a fazer alongamentos, abdominais e alguns exercícios de yoga no meio da sala enquanto ela sobe por mim a cima, o que acrescenta alguns graus de dificuldade à coisa.

Umas semanas antes de abandonar o ginásio a minha personal trainer introduziu-me e ao meu irmão à prancha. Das primeiras vezes eu mal aguentava 10 segundos, mas depois, por força da competição, eu lá ia aguentando o máximo até o meu irmão cair e eu sair por cima como a vitoriosa.

Já se passou um bom tempo e o máximo que consegui aguentar até agora foi 2 minutos. Para se estar bem tem que ser 6 então esse é o meu objetivo, mas por agora já fico feliz se já chegar aos 3 minutos e meio ainda mais com o peso da Alex sentada nas minhas costas.

Wish me luck!

10 comentários

Comentar post