Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

26
Set18

Carta Vs Aquilo que se quer


Hikarry

Como muita gente sabe, eu estou a juntar dinheiro para tirar a carta. Por esse motivo, mal saio com os meus amigos, não tenho comprado nada de especial, só apenas o necessário e o único luxo que tenho tido é o meu habitual cappuccino de chocolate ou avelã na mesma pastelaria de sempre quando tenho algum furo no horário. 

Mas o aniversario de pequena Hikarry está ao virar da esquina, tal como o Natal e não há mal nenhum em estar a deitar o olhos no que anda por ai.

Hoje as minhas aulas terminas às 10:15 e o meu autocarro chegava às 11H. Eu sou meio paranoica com o tempo, então fui logo para a paragem. Não tinha nada para fazer, tinha me esquecido do livro em casa, não conseguia estudar com aquele calor, então lembrei-me que consegui-a apanhar o Wi-Fi do centro de saúde - que é, literalmente, do outro lado da estrada - dali e, para passar o tempo, pus-me a coscuvilhar os meus sites habituais onde costumava gastar o meu pouco dinheiro de estudante.

Já tinha falado aqui que andava muito interessada numa capa para o meu telemóvel, mas os meus temores realizaram-se. Foi vendida...Bem, não fiquei muito tempo a chorar pelo leite derramado e fui ao site da Fnac e encontrei esta gracinha. 

É demasiado bonita para o seu próprio bem e peço a todos os anjinhos que se mantenha por lá até Novembro. 

E o melhor é que só custa 6,99€!

Para quem deu 15€ pela ultima capa cuja já está partida passado poucos meses...E é tão gira 

21
Set18

Coisas que não faltam no meu guarda-roupa


Hikarry

Não, filhos, não sou uma fashion blogger ou uma típica blogueirinha. Não quer dizer que essa fase minha não chegue, simplesmente agora não me aprofundo muito nessas coisas, mas nada me impede de dar a minha pazada no mundo das blogueirinhas de vez em quando e, como já não faço isso há algum tempo, lá vai.

Eu vou simplesmente citar coisas com as quais não consigo montar um bom look sem - e com as quais, se vir algumas giras nas lojas, não consigo sair sem elas. Se bem que o pessoal é pobre e ás vezes só fica pelo namorar da peça de roupa mesmo.

E, sim! Eu sei que conseguem ver a minha cara na coisinha do instagram ai de lado, mas eu nunca tive um post em que eu publica-se a minha cara, assim ao nu, sem emoji, então há sempre uma primeira vez para isso - Preparem-se para o show de horrores.

 

1. Casacos de cabedal

Quem me conhece sabe que se há um vicio que eu tenho - para além de cappuccino - é casacos de cabedal. Tenho uma coleção, ainda pequena, mas que pretendo aumentar. Eu sou completamente apaixonada por um casaco que comprei na Stradivarius no ano passado e eu acho que passei mais de metade do ultimo ano com ele vestido. Comprei em Coimbra, no Fórum e eu nem ia com o intuito de o comprar, eu andava à procura de uma camisa vermelha - que eu encontrei e comprei lá também - e o meu pai é que disse "Hey, olha isto.". Esse casaco de cabedal e um casaco de estilo militar um ao lado do outro...as minhas maiores predições, mas não me arrependo da escolha que fiz.

 

2. Casacos estilo militar

Eles têm algum nome mais pomposo? Se têm, não faço a menor ideia, para vocês verem o quanto eu percebo disto e estou para aqui a falar.

Tenho 3, mas só uso 2. Já tinha falado de um deles num post aqui do blog - embora não encontre o post. O outro comprei-o numa loja chamada Ti.amy e na etiqueta estava literalmente escrito "Casaco Michael". 

Para quem não sabe, o meu vicio nos casacos militares vem do meu pequeno - enorme - fascínio pelo Michael Jackson, tal como os casacos de cabedal, embora ai também tenha sido muito influenciada pelo - meu bebé - Freddie Mercury.

O outro casaco comprei na Lefties, também no Fórum em Coimbra.

 

3. Bandanas

Sim, eu sou a mulher das bandanas - embora só tenha uma. Sempre que tenho uma oportunidade ando com uma bandana na cabeça, até porque me custou os olhos da cara e agora tenho que a fazer valer. Mas a verdade é que gosto muito dela, quero ter mais cores, mas por agora estou bem com esta.

Eu faço milhares de look só com a bandana. Milhares. E às vezes também as uso quando estou num bad hair day e ninguém nota ou, pelo menos, nunca ninguém me disse nada. 

Esta eu comprei na Claire's - adivinhem onde? Exatamente.

 

4. T-shirts brancas

Eu sempre fui muito de usar preto, mas eu não sei o que aconteceu este ano que eu ando muito ainda com o preto, mas com aquela pitada de luz. E o que é que dá a luz ao look? Uma bela de uma t-shit. Tenho algumas favoritas, sim, mas entre elas não consigo escolher então... 

Ah e eu é raro ter camisolas lisas. Erro de principiante, eu sei, mas eu adoro t-shirt com frases ou coisas engraçadas, é mais forte do que eu.

De arco-iris a ancoras, não consigo resistir. 

As que eu mais gosto comprei na Lefties e na Primark...no Fórum em Coimbra. Já deu para perceber que eu não viajo muito não é?

 

5. Colares

Eu sei que já disse que sou a Maria de muitas coisas, mas eu sou, definitivamente, a Maria dos Colares. Tenho montes deles, principalmente com ancoras e caveiras e foi esses que mais usei no ano passado.

Eu vou comprando aleatoriamente conforme os vejo. Costumo comprar bastantes naquelas lojas à beira praia, principalmente numa loja que há na Praia de Mira que tem uns colares com minerais que são as coisas mais adoráveis de sempre! A minha ultima aquisição foi um colar da Pedra da Lua que custou 3 euros e tal. Não me lembro do nome da loja e tentei pesquisar, mas não consegui encontrar.

 

6. Chokers (gargantilhas)

Eu já falei delas aqui e naquela altura não tinha nenhuma, mas logo naquele verão fui comprar na mesma loja na Praia de Mira que citei em cima. Depois fui comprando na Primark, onde há muitas e muito baratas.

Já me rebentaram algumas nas mãos? Sim.

Isso pode ter sido porque eu sou uma besta e quase que me enforco com aquelas cenas? Totalmente.

Deixo que vocês avaliem se é burrice minha ou da Primark.

 

7. Ténis

Ultimo. Sim, finalmente. 

Eu adoro ténis, principalmente de cano alto, mas, ironicamente, os ténis mais bonitos - e que mais usei em toda a minha vida - foram uns ténis que me foram oferecidos por uma pessoa importante na minha vida. Eu e ela gostamos muito de Star Wars e ela ofereceu-me uns ténis normais com uma estampa de stormtroopers e do Darth Vader maravilhosos. Andei o ano de 2016 inteiro com aquilo nos pés. Arrumei-os no final de 2016 depois do fim da nossa relação e só recentemente fui pegar neles. Ainda me servem, mas a sola está tão gasta que parece que percorri o mundo com eles.

Agora os ténis que eu mais uso são da Adidas, que me foram oferecidos nesta pascoa e agora são eles que eu não largo, tanto que eles fizeram parte da caracterização da minha personagem na peça que apresentei em inicio de Agosto.

 

E é isso. Acabou. A foto que vou mostrar a seguir foi tirada ontem (hoje, no dia em que estou a escrever isto) e tem muitas das coisa que citei neste post como os ténis, a t-shirt e a choker. Tirei umas 500, esta foi a que ficou melhor.

Não fui feita para esta vida de blogueirinha de moda.

 

 

 

 

 

 

 

16
Ago18

Partilhar sorrisos


Hikarry

Eu acho que tenho algumas coisas bem delimitadas na minha vida: lido com as minhas emoções e sentimentos quando estou em casa ou sozinha e quando estou com outras pessoas eu meio que desligo e deixo o piloto automático e o modo "felicidade" ligado. Na pior fase da minha depressão nem isso conseguia e, nos piores dias atualmente, às vezes, também não consigo, mas, no geral, na rua ando sempre bastante feliz.

Okay, se me virem na rua a andar sozinha eu vou estar com uma cara muito séria de macambuzia...é a minha cara. Não estou chateada, não estou numa pilha de nervos, estou, simplesmente, normal. Eu tenho o que chamam agora de "Resting Bitch Face".

Mas quando estou com os meus amigos - quando estou ambientada e à vontade, o que pode demorar um bocado - eu estou sempre muito alegre e simpática, sempre com uma piada e resposta na ponta da língua, onde quer que eu esteja. Seja com a senhora da biblioteca, com o homem que está a limpar a rua, com aquele amigo do meu amigo que eu nunca vi mais gordo, com aquela miúda que tem o cão mais adorável que já vi na minha vida. Sim, não tenho lá grande vergonha na cara quando estou com os meus amigos Acho que chego a ser demasiado simpática às vezes, o que já me levou a levar algumas patadas, mas isso é historia para outro dia.

Eu tento ser o mais simpática possível com toda a gente porque eu detesto quando as pessoas me tratam mal - coisa de menina mimada? Provavelmente. Eu acho que, mesmo que a pessoa esteja a ter um dia horrível, vai ser um bocado complicado ela ser super má contigo se tu fores simpática com ela e, talvez, a tua amabilidade faça o seu dia um pouco melhor.

Falo por mim. Há momentos em que estou a ter dias horríveis e só precisava que alguém fosse simpático comigo, me dissesse algo bom. E eu tento  ser essa pessoa na vida dos outros

É extremamente engraçado quando entramos num lugar e dizemos "Bom dia!" ou agradecemos por um serviço bem restado e a pessoa fica a olhar para nós com uma cara estranha porque não está habituada.

Mas, depois, quando volto a casa, ou arranjo algo com que me distrair, ou estou a remoer os meus próprios mensamentos até ir dormir.

15
Ago18

O meu portal privado para Narnia


Hikarry

Quem me conhece sabe que, se há coisa que eu não sou, é organizada. Quer dizer, parte de mim é organizada e a outra não.

Por exemplo, o meu guarda-roupa e a minha agenda são extremamente organizados enquanto todo o resto na minha vida são o completo caos. O completo portal para a minha Narnia pessoal, sendo esse portal, maioritariamente, localizado no meu quarto.

Quem entrar no meu quarto - sem eu ter sido avisada com antecedência da sua chegada - não vai perceber nada do que se passa ali.

Na minha escrivaninha, a única coisa organizada são o meus livros, todo o resto está onde Deus assim o quis. Na beira da minha cama estão os casacos que eu planeio vestir durante a semana e no chão estão os ténis que eu mais uso e os chinelos com orelhinhas que eu uso a toda a hora quando ando por casa - quando não me apetece andar descalça. Para não falar da mala - aquela das antigas que os velhos tinham para guardar coisas - que é o meu mostruário de malas, mochilas, t-shirts e calças.

Até a minha maquilhagem é uma extrema confusão, pois está literalmente dividida em duas caixas, mas eu entendo-me! Eu compreendo a minha confusão e consigo encontrar tudo o que quero! O pior é quando me arrumam as coisas!

Quando me arrumam as coisas, eu consigo passar horas à procura do maldito do paninho para limpar os óculos!

E depois há o típico "Ó MÃE!" que se segue de um pedido desesperado - ou chateado - por algo que me faz falta e agora está escondido sabe-se lá onde.

Não me vejam como uma pessoa desarrumada - que sou -, eu arrumo as coisas, mas à vista da minha mãe elas estão sempre desarrumadas! 

Aos olhos das outras pessoas, a "arrumação" da minha mãe pode ser o certo, mas para mim, a pessoa que usa as coisas, é como se me estivessem a esconder as coisas.

O meu quarto é uma zona de guerra cá em casa, porque, sim, o quarto faz parte da casa e tem tanto que estar organizado como o resto da casa, mas eu vivo tão bem e tão organizadamente com o meu portal para Narnia.

Eu sei que não sou a única - eu sinto os vossos olhares julgadores -, pois conheço muita gente que chega a ser muito mais desorganizada que eu, mas também conheço gente que é tão perfeccionista que uma coisa está 1mm fora do lugar e elas já estão a passar-se.

Muitas vezes a minha mãe pergunta-me "Filha, não tens vergonha de seres tão desarrumada?".

Mãe, este paragrafo é especificamente para ti: Tenho tanta vergonha que acabei de gozar com o facto de que sou extremamente desarrumada na net.

14
Ago18

Ansiedades de compras


Hikarry

Se há coisa que todo o ser humano faz regularmente é ir ás compras. Não é necessário ser num supermercado, tanto como pode ser mercadinho da aldeia como na loja de roupa do shopping, é tudo a mesma coisa. Há sempre aquele momento de ansiedade que me apanha. Aquele momento que me faz pensar duas vezes se quero mesmo entrar ali. Mas uma pessoa precisa de comer, não é?

Primeiro, eu tenho um pouco daquele complexo de pensar que toda a gente está sempre a olhar para a mim e a julgar-me a cada passo que dou, por isso é que ainda tenho um pouco de dificuldade de andar sozinha em sítios desconhecido com muita gente, o que vai ser uma enorme dor de cabeça quando eu entrar para a universidade, mas não é disso que estamos a falar agora.

Entrar num shopping sozinha já me dá uma bela de uma ansiedade, mas não é nada comparado com aquele momento.

Depois lá me distraio com as compras e acabo por me esquecer do que está á minha volta. Vá, ás vezes lá vem um click e o mundo à minha volta se volta a ligar por uns segundos, mas rapidamente tudo se torna numa névoa e parece que o mundo anda a mil à minha volta enquanto eu estou ali, na minha. Tudo corre minimamente, com a minha cabeça a tentar manter me focada nas compras e a relaxar-me e o meu coração a mil, até aquele momento: o momento de pagar.

A minha carteira é quase uma pandeireta de tantas moedas que lá tem, que eu tento despachar, mas os olhares, senhores, os olhares! Eu sei, é uma coisa parva com que preocupo, as pessoas têm que esperar e mais nada enquanto faço o meu pagamento e pego nas moedas, mas eu fico extremamente nervosa.

A cara de aborrecimento do caixa. A fila a formar-se atrás de mim. As minhas mãos começam a tremer e a minha respiração começa a acelerar. E claro, depois uma destas duas acontece: ou eu não dou o dinheiro certo, o que não é pecado nenhum, mas o meu pequeno cérebro entra involuntariamente em colapso, ou eu deixo cair as moedas todas no chão, demorando mais tempo e passando uma vergonha.

E o pior é que parece que o tempo passa em câmara lenta à minha volta enquanto eu estou num frenesim enorme.

E, muitas vezes, quando o nervosismo já é tanto e eu já só quero sair dali, eu ago por instinto e, feita parva, dou dinheiro a mais e quando o queixa diz "Olhe, desculpe, deu x a mais" eu digo "Fique com o troco" e saiu rapidamente. Claro que, mais tarde, ando a bater com a cabeça nas paredes por causa de uns cêntimos que me poderão fazer falta num futuro vindouro, mas o que está feito está feito.

Por favor, há alguém tão parvo quanto eu?

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Dr. Doutor

    Eu tive aulas de inglês com os alunos de Desporto....

  • green.eyes

    Felizmente somos todos diferentes.

  • Sweetener

    Há uma tendência natural para desvalorizar. Fui al...

  • omeumaiorsonho

    Eu segui ciêntifico os Natural e espalhei me no 12...

  • Isa Nascimento

    Atualmente, nas escolas secundárias, há uma convic...

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D