Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

11
Set18

Eu vi Avengers: Infinity War


Hikarry

Lá está ela! A atrasada cinematográfica retorna!

A culpa desta vez não foi minha pessoal...quer dizer, foi, porque eu fui burra, mas eu tentei, okay?

Era suposto eu ter ido ver este filme com o meu melhor amigo ao cinema, mas, como bom português, deixei tudo para a ultima e quando fui comprar os bilhetes já estavam esgotados então nós contetamonos numa pastelaria que há perto do cinema...

Mas bem, novamente, voltei com Marvel e vai ser impossível não dar alguns spoilers, mas eu vou tentar não dar muitos e também vou tentar não ter uma explosão de "nerdisse" ou "geekisse", porque era isso que me estava a acontecer enquanto estava a ver o filme.

Arrisco a dizer que este é o meu filme favorito da Marvel até hoje. A Marvel teve estes anos todos a escalar e a montar caminho até chegar a este ponto fulcral na historia do universo da Marvel e...meu deus, não estou eu contente por ver isto finalmente no cinema depois de anos de espera.

Primeiro, já realizei o meu sonho de ver Benedict Cumberbatch e Robert Downey Jr. a partilhar o mesmo ecrã. Sendo eles dois dos meus atores favoritos - em geral, não por causa da Marvel - eu não poderia estar mais feliz.

A primeira morte do filme - há muitas...muitas mesmo, parece que George R. R. Martin deu uma mãozinha - já é triste, mas não me bateu tão forte como uma em particular: a do Peter Parker.

Primeiro, nós esperámos anos por uma boa adaptação do Homem Aranha para o cinema, esperámos anos para ver o Peter nos Avengers e agora...foi-se. Sou fã do Homem Aranha desde que me lembro de mim. Acho que já vi todos os desenhos animados possíveis e os filmes antigos e...tudo, eu esperei tanto por este momento e puff...foi-se. E o que me doeu mais, o que me fez chorar como uma criancinha foi ver o desespero do Peter ao ver a morte chegar e agarrar-se ao Tony Stark com medo de ir. Foi de partir o coração a qualquer um, pelo menos o meu.

Houve muitas outras partes super sensíveis e tristes, mas essa foi a que me tocou mais e também foi a que gerou mais memes na internet quando o filme saiu.

Pobre Peter.

Enfim, largando a tristeza, como todo o bom filme da Marvel, está carregado de humor o que ajuda a balançar a tragédia com a alegria. Dei por mim a chorar como um bebé e a abrir um pequeno sorriso com uma piada que alguém disse na cena seguinte.

Eu...Simplesmente não sei o que dizer sobre este filme. Eu adorei e, se não fosse a minha intolerância para fazer/ver/ler coisas repetidas, eu passava o resto da minha vida a ver este filme.

Apenas vejam se ainda não viram.

 

10
Ago18

O que vem por ai: Bohemian Rhapsody (2018)


Hikarry

Como é de conhecimento geral da população mundial - sim, claro (feel the irony) - a minha banda favorita são os Queen. Gosto de velho? Talvez, mas eu não podia estar mais orgulhosa de ser uma jovem dos anos 70 presa no corpo de uma miúda dos anos 2000.

O vicio é tão grande que, não importa onde eu esteja, o que eu esteja a fazer, que horas são, alguém fala da banda ou diz o nome de algum dos membro ou uma das musicas, por mais desconhecida que seja, começa a tocar, eu paro tudo o que estou a fazer, viro a cabeça tal psicopata e, ou me infiltro na conversa, ou começo a cantar, fazendo quem quer que seja que está comigo passar uma vergonha de morte (sorry).

Quantas noites já não chorei ao som de The Show Must Go On ou Love Of My Life, Jesus. Quantas vezes já não dei uma espécie de slay desajeitado à frente do espelho ao som de Killer Queen ou fiz uma interpretação dramática de Don't Stop Me Now

Vamos admitir: Brian May, John Deacon e Roger Taylor são génios e o Freddie foi um génio igualmente!

Mas vou parar de destilar o meu amor por estas bandas e ir ao que me interessa.

No ano passado foi anunciado um filme que iria homenagear os Queen e, especialmente, o Freddie, que quebrou todo o tipo de estereótipos e desafio tanta gente em tantos aspetos tornando-se numa marca do rock mundial (e, no que me toca pessoalmente - mas que não interessa a muita gente - num símbolo LGBT).

Conta a ascensão da banda e a corrosiva vida do Freddie que o levou a ter o fim que teve. E, claro, conta sobre a reunião antes da épica Live Aid, onde Freddie, que lutava contra a SIDA, guiou a banda no que foi uma das maiores - se não a maior - atuações de rock da historia do rock mundial!

Estreia no dia 2 de Novembro deste ano cá em Portugal e eu vou mover montanhas para ver este bem dito filme ao cinema. Mais alguém tão ansioso como eu? Porque eu estou aqui quase a agarrar-me ás paredes!

(Estou aqui a rever os trailers pela milésima vez e já estou toda emocionada. Imaginem no cinema!) 

30
Set17

Zodiac (2007)


Hikarry

Vi um filme ontem. Já não via um filme do principio ao fim à milénios! Simplesmente não tenho paciência nem para isso.

Vi Zodiac.

Um filme sobre um serial killer no final dos anos 60 e, como pessoa interessada em mistérios nunca resolvidos, tive o maior prazer de ver este filme de uma ponta à outra.

Não deixem de ir ver! Ainda porque tem o Robert Downey Jr no elenco e ele faz um papel fantástico!

 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Akira

    Eu cá prefiro ver os Casados À Primeira Vista. Vol...

  • imsilva

    É verdade que se cria uma relação viciosa, quando ...

  • Sofia

    Boas leituras!

  • Luísa de Sousa

    Boa vida a da gatinha!

  • Hikarry

    Do I smell jealousy love?

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D