Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

26
Jul19

After


Hikarry

After de Anna Tood 
Edição/reimpressão: 2015
Páginas: 528
Editor: Editorial Presença 
Preço: 21,90€
 
Coloquei este livro na minha lista de leitura por brincadeira. Tinha um preconceito enorme em relação ao dito cujo por saber que a historia original era uma fanfic de One Direction e já estava à espera de um cliché total...o que não fugiu completamente da realidade
Andava cansada de literatura pesada depois de uma maratona de José Rodrigues dos Santos e, depois de tentar pegar noutro livro que não me puxou minimamente, vi este em promoção no Pingo Doce e, num impulso, decidi comprar.
O inicio custou-me a engolir. Era mais um cliché no mundo dos clichés sobre a rapariga perfeita e tímida cujo pai a abandonou por causa do álcool e blablabla até ao encontro com o típico bad boy que, já no primeiro vislumbre, se sabia que ia ser o parzinho da moça. Felizmente, perto do meio do livro, aquilo começou a ficar interessante e com um certo mistério, de modo que devorei o livro num piscar de olhos.
Embora (vá se lá saber como) o livro esteja cheio de erros ortográficos; tantos que algumas frases são impossíveis de ler, é uma leitura leve e exatamente o que eu estava a precisar no momento.
Basicamente, a personagem principal é uma rapariga chamada Theresa (ou Tessa, para os amigos) Young, super comportadinha, santa, engomadinha com um namorado igualmente comportado. A mãe dela é uma louca do controle e da manipulação e convenceu a miúda a ir para a universidade que ela queria quando era mais nova tirar o curso de Estudos Ingleses. A Tessa vai morar para uma das residências da Universidade de Washington e acaba por ser colega de quarto de uma rapariga chamada Steph que, embora seja super simpática, é cheia de tatuagens e piercings então, logo de cara, a Tessa, o namorado e etc não vão à bola com ela. Todos os amigos da Steph são "diferentes" como ela, mas a Tessa acaba por começar a gostar de alguns, principalmente do bad boy de serviço: Hardin. Treta vai, treta vem, a historia vai culminar num final de partir o coração e com um gostinho por quero mais.
A Tessa irritava-me severamente no inicio com toda a sua aversão por decotes ou mostrar as pernas ou até mesmo com o "preconceito" com pessoas diferentes, mas acabou por ganhar alguma consideração minha quando se soltou das amarras da mãe e mostrou quem realmente é. Já o Hardin, não sei o que pensar nele. É um rapaz com desvios de personalidade e extrema bipolaridade, não excluindo a ciumeira cronica e as ações não pensadas que, de alguma maneira, me fazia crescer um quentinho no coração quando era um fofo. 

Sobre mim

foto do autor

Pesquisar

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Comentários recentes

  • Dr. Doutor

    Eu tive aulas de inglês com os alunos de Desporto....

  • green.eyes

    Felizmente somos todos diferentes.

  • Sweetener

    Há uma tendência natural para desvalorizar. Fui al...

  • omeumaiorsonho

    Eu segui ciêntifico os Natural e espalhei me no 12...

  • Isa Nascimento

    Atualmente, nas escolas secundárias, há uma convic...

Arquivo

    1. 2019
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2018
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D
    1. 2017
    2. J
    3. F
    4. M
    5. A
    6. M
    7. J
    8. J
    9. A
    10. S
    11. O
    12. N
    13. D