Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Little Crushed Heart

Aquilo em que me tornei

Um conto de Barbies

Desde que me conheço por gente - até aos 12 anos de idade -, todos os natais, recebi-a o filme da Barbie do ano e a boneca que o acompanhava. Desde A Princesa e a Aldeã até aos Castelo de Diamante, tenho tudo.

Fazia Barbie beijar Barbie, Ken beijar Ken, Barbie beijar Ken; já tinha estas ideias plantadas em mim desde pequena. Estava destinado a ser assim. A eu me transformar nesta borboleta multi-colorida de quem eu tenho muito orgulho e que, infelizmente, poucos aceitam com um sorriso no rosto.

 

Não tinha amigos e tive um irmão, então não tinha ninguém com quem brincar com as minhas bonecas. Ou brincava sozinha, ou com a minha avó, que me olhava com aquele típico olhar reprovador quando metia duas Barbies de mão dada.

Lembro-me que tinha o castelo da Barbie e as 12 Princesas Bailarinas e era lá que eu construi-a historias mirabolantes com casais, filhos, cavalos, bailado, era fantástico!

Os problemas estão a voltar à minha vida depois de 3 meses de descanço. Como já disse no post anterior, sinto a depressão a agarrar-se às minhas pernas novamente, a escuridão a entrar de novo e dou por mim a sentir falta do tempo em que tudo era mais simples.

Onde a única coisa com que me preocupava era com que vestido vestir a minha Barbie favorita e se fazia uma reunião entre as 12 princesas bailarinas e as princesas da Disney que tinha.

Reconheço que as barbies foram uma grande parte da minha infância. Ainda gosto de ver os filmes, adoro a voz da mulher que dá voz à Barbie portuguesa, sei algumas canções de cor.

E vocês? Qual foi o brinquedo ou a personagem que marcou mais a vossa vida?

 

4 comentários

Comentar post